Série Gerenciamento de Projetos (12/12) – O papel do Gerente de Projetos

Olá amigos,

Chegamos ao fim da “Série Gerenciamento de Projetos” e vimos os seguintes posts:

1. Introdução

2. Grupos de Processos do Gerenciamento de Projetos

3. Gerenciamento de Escopo

4. Gerenciamento de Tempo

5. Gerenciamento de Custos

6. Gerenciamento da Qualidade

7. Gerenciamento de Recursos Humanos

8. Gerenciamento da Comunicação

9. Gerenciamento dos Riscos

10. Gerenciamento de Aquisições

11. Gerenciamento da Integração

E para encerrar veremos algumas competências e atributos necessários ao gerente de projetos para a condução de projetos de sucesso.

12. O PAPEL DO GERENTE DE PROJETOS

Segundo o PMBOK, o gerente de projetos é a pessoa designada pela organização executora para atingir os objetivos do projeto. O papel de um gerente de projetos é diferente de um gerente funcional ou um gerente de operações. Normalmente o gerente funcional está concentrado em proporcionar a supervisão de gerenciamento de uma área administrativa e os gerentes de operações são responsáveis por um aspecto do negócio principal.

Gerenciar projetos significa “aplicar conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto, a fim de satisfazer seus requisitos” (PMI, 2004:5). Para isso é necessário conhecer e aplicar boas técnicas de gerenciamento de projetos, além de um sólido conhecimento de habilidades gerais de gerenciamento, são alicerces profissionais para todos os aspirantes a gerente de projetos.

Isso significa que não basta possuir habilidades e experiências na área técnica. Competência em Gerenciamento de Projetos envolve uma liderança bem preparada e integrada com sua equipe; envolve ousar, sem no entanto, acreditar em soluções mágicas; envolve um gerenciamento não amador, focado nas necessidades e expectativas de todos os stakeholders.

12.1.  Habilidades de gestão

Teoricamente, as metas dos projetos podem ser atingidas simplesmente aplicando-se os princípios gerais de planejamento, coordenação e controle. Mas é cada vez mais claro que é necessária uma forte dose de comportamento gerencial para executar aquelas tarefas básicas e adaptá-las às situações especiais de cada projeto.

Técnicas e habilidades necessárias para a boa prática de gerenciamento de projetos:

12.1.1.   Liderança

  • Direção e liderança claras;
  • Participação na solução de problemas e tomada de decisões técnicas;
  • Delineamento claro de metas e objetivos;
  • Unir a equipe em torno das metas do projeto;
  • Delegar sempre;
  • Tomada de decisões firme.

12.1.2.   Experiência Técnica

  • Compreender as tecnologias envolvidas no projeto;
  • Compreender as aplicações, mercados e requisitos do cliente;
  • Gerenciar tecnologia;
  • Avaliar riscos e negócios;
  • Antever tendências tecnológicas;
  • Dar assistência na solução de problemas;
  • Comunicar-se eficazmente com a equipe técnica.

12.1.3.   Habilidades Comportamentais

  • Formar equipes multidisciplinares;
  • Envolver e estimular o pessoal;
  • Gerenciar conflitos;
  • Comunicar-se oralmente e por escrito com todos os níveis;
  • Fomentar um ambiente de trabalho que conduza ao trabalho em equipe;
  • Envolver toda a direção organizacional.

12.1.4.   Técnicas de Gestão

  • Planejamento do projeto;
  • Negociação de recursos;
  • Comprometimento com a segurança;
  • Estabelecer marcos mensuráveis;
  • Estabelecer procedimentos operacionais;
  • Estabelecer e manter relatórios e revisões;
  • Estabelecer e gerenciar controles do projeto;
  • Uso eficaz de ferramentas e técnicas de programações;
  • Planejamento eficaz da mão-de-obra.

12.1.5.   Técnicas Organizacionais

  • Compreender como funciona a organização e como trabalhar eficazmente com ela;
  • Formar equipes de trabalho multifuncionais;
  • Trabalhar eficazmente com a direção organizacional;
  • Compreender interfaces organizacionais;
  • Estabelecimento de uma organização eficaz.

12.1.6.   Técnicas Empresariais

  • Capacidade gerencial;
  • Gerenciar projetos como negócios;
  • Atingir objetivos lucrativos;
  • Desenvolver negócios novos e acompanhá-los.

12.2.   Conclusão

Ao analisarmos as características e habilidades do gerente de projetos, é significativo notar que a interação comportamental é um tema primordial que acontece em todas as categorias técnicas.

O gerente de projetos precisa ser pró-ativo, e isso significa que os verbos de ação devem fazer parte do estilo do gerente: delegar, estimar, participar, investigar, isolar, dedicar, delinear, compensar, acelerar, instigar, avaliar, obrigar, advogar, agitar, comunicar e diferenciar. Pró-agir significa pensar em termos ligados a ações e transformar esses pensamentos em resultados verificáveis e aceitos.

Gerentes bem sucedidos e pró-ativos devem trabalhar com foco nos objetivos do projeto, nas relações com os clientes, nos relacionamentos interpessoais e nos objetivos da empresa.

De tudo que vimos, não apenas nesse post, mas em toda a série, podemos concluir que o gerenciamento de projetos é uma área muito ampla, que exige muito conhecimento das boas práticas e também de muito conhecimento e experiência gerencial no comando das equipes e de todos os envolvidos nos projetos.

Não basta ao gerente ter conhecimento técnico em determinada área ou ter conhecimento aprofundado de metodologias de gerenciamento se este gerente não possuir características e competências gerenciais para lidar, conduzir e influenciar pessoas.

E desta forma, concluímos com um trecho do livro “Gerenciamento de Projetos e o fator humano” de Dinsmore:

O lado humano do gerenciamento de projetos é como uma colcha de retalhos – uma combinação de intangíveis que inclui abordagens motivacionais, técnicas de gerenciamento de conflito e teorias de tomada de decisão. Abrange sutilezas culturais, estratégias de negociação e técnicas de interface. Inclui o lado comportamental de planejamento e o papel especial de liderança do gerente de projeto em gerenciar pessoas e tomar decisões. E as pessoas são o recurso mais valioso de qualquer projeto.

Bibliografia utilizada para este post:

Gerenciamento de Projetos e o fator humano: conquistando resultados através das pessoas/Paul Campbell Dinsmore e Fernando Henrique da Silveira Neto . Rio de Janeiro: Qualitymark, 2005.

PMBOK® - Project Management Body of Knowledge, PMI 2008.

Muito obrigada a todos que acompanharam a “Série Gerenciamento de Projetos” e também aos que acompanham o nosso blog. Em breve abordaremos outros assuntos relevantes e relacionados ao Gerenciamento de Projetos em novas séries e posts.

Abraço a todos e até a próxima.

Leave a comment